Atualmente, o termo “impotência” perdeu parte de sua relevância, uma vez que não abrange todo o espectro de distúrbios eréteis em homens. O diagnóstico mais correto hoje é a formulação “disfunção erétil”. Isso se deve ao fato de que a incapacidade de realizar uma relação sexual completa pode ter diferentes mecanismos e causas. A palavra “impotência”, mesmo que continue a existir na terminologia médica e na linguagem cotidiana, tem sido entendida como qualquer distúrbio funcional que impeça a manutenção de uma ereção ou a realização da ejaculação.

A manifestação da impotência pode ser limitada a um dos fenômenos que impedem a atividade sexual normal: uma violação da ejaculação, ereção instável, falta de orgasmo, frigidez. No entanto, muitas vezes a impotência é uma consequência de todo um complexo de desvios, e alguns tornam-se o pano de fundo para o desenvolvimento dos outros (com ereção instável, o medo de ser inadequado na cama provoca uma diminuição da atração no sexo oposto).

As estatísticas mostram uma frequência suficiente de certos distúrbios eréteis. Embora tenha sido provado que o risco de impotência aumenta com a idade, cerca de um terço dos homens com até 60 anos já tem certos problemas com a implementação da relação sexual.

Para melhorar a potência, é necessário procurar ajuda profissional do especialista apropriado – sexólogo – porque ele pode diagnosticar corretamente as causas do problema (psicogênica ou orgânica) e prescrever um método de tratamento eficaz. Comece com Endoxafil funciona.

Vale ressaltar que, no tratamento da impotência, é a primeira consulta com um terapeuta sexual que é importante, pois é nesse ponto que se forma a relação de confiança entre o médico e o paciente, fundamentais para um resultado bem-sucedido na forma de potência aumentada.

Muitas vezes, para identificar a raiz do problema, é necessária a presença de um parceiro, que ajudará o homem a se livrar dos medos internos, a relaxar e recuperar a confiança.

A medicina moderna tem amplas possibilidades e métodos de tratamento da disfunção erétil psicogênica e orgânica. Entre eles estão:

Medicação ou psicoterapia;

O método de injeção intracavernosa de drogas vasoativas;

Tratamento cirúrgico de insuficiência arterial ou venosa;

Implantação de pênis protético, etc.

A implantação do pênis protético é necessária em 10% dos casos de violação da potência, quando todos os outros métodos não funcionam.